• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Parceiros
  • Resenhas
  • Contato
  • A História das Ilusões e Loucuras das Massas - Charles Mackay - Faro Editorial!

    Sinopse:
    Sociedades avançadas também fazem coisas incrivelmente estúpidas em momentos de desespero... Embora a insanidade se manifeste de modos variados, os mecanismos psicológicos por trás dela são semelhantes. Conhecê-los é, ao mesmo tempo, soro e vacina. Este livro clássico prova que precisamos revisitar continuamente o passado se quisermos evitar os mesmos erros no futuro. Passando por bolhas econômicas, religião, costumes, astrologia, caças às bruxas e política, o autor, Charles Mackay, apresenta aqui exemplos de grandes histerias que mudaram o curso da humanidade. Mackay não trata apenas de eventos, mas de tendências de comportamento que se repetem, ilustrando com exemplos específicos notáveis e até engraçados. Conhecê-las é ter poder para guiar-se mantendo o pensamento racional enquanto todos perdem a cabeça. Se estudar a história da loucura das massas sempre foi relevante, hoje é ainda mais importante. Na Idade Média, um rumor insano levava meses, às vezes anos, para percorrer o mundo. Hoje, bastam poucos segundos. Assim, as ilusões populares têm um poder que jamais tiveram sobre nossos antepassados: dispomos de meios para tornar seus efeitos mais desastrosos. Nesta versão, mantivemos o conteúdo mais objetivo e acrescentamos anexos para incluir eventos ocorridos nas últimas décadas, sobretudo no país. A crise de 2014, o bug do milênio, o Plano Cruzado e outras situações partilham coincidências com fatos ocorridos há mais de trezentos anos e que prometem se repetir muitas vezes. Ninguém poderá duvidar que, por maior que seja o número de lâmpadas acessas, a invencibilidade das trevas é insuperável. Parafraseando o economista Roberto Campos: A LOUCURA HUMANA TEM PASSADO GLORIOSO E FUTURO PROMISSOR. OS CISNES NEGROS As loucuras e ilusões das massas são eventos que provocam o que o autor, Nassim Nicholas Taleb, chamou de Cisnes Negros: problemas de percepção causados nas pessoas por eventos aleatórios e inesperados que provocam impacto num grupo ou comunidade. Diante de eventos inesperados e histerias coletivas, nós perdemos parte da capacidade de lidar racionalmente com a situação, de julgar o que é mais coerente e até de explicar o que realmente aconteceu. O desafio proposto neste clássico é ler as tendências dos comportamentos humanos e se desprender das ilusões das massas. Esse é o caminho para sobreviver a esses eventos assustadores sem perder a cabeça e os negócios.

    Resenha:


    Neste livro clássico de renome internacional, há uma infinidade de informações que os comerciantes podem usar a seu favor na compreensão da natureza de oportunidade dos investimentos. Originalmente escrito em 1841, as observações de Charles MacKay sobre o comportamento das multidões são hoje tão prescientes quanto eram há mais de 150 anos.
    A premissa básica do autor de que os humanos são dominados pela ganância e pelo medo quando se trata de dinheiro, afirma que você também sucumbirá à tentação quando ela prevalecer ao seu redor, MacKay nos apresenta alguns episódios do passado, em que populações inteiras se resignaram a essa loucura, sacrificando suas casas e cometendo atos de violência.Talvez a história mais conhecida e uma das que mais gostei seja a do O esquema do Mississíppi, que detalha a vida de John Law - o economista, jogador, banqueiro, assassino, conselheiro real escocês, mulherengo e aventureiro. Em 1716, ele estabeleceu o banco Law e Companhia, um banco com o poder de emitir papel-moeda, ele acreditava que aumentar o dinheiro em circulação beneficiaria o comércio, seu plano foi um sucesso espetacular, mas de curta duração, quando entrou em colapso após a operação de um banco em 1720, mergulhando a França em uma crise econômica.
    Ao mesmo tempo, Law criou a Companhia Mississíppi, que teria privilégio exclusivo de comercializar com o grande rio Mississípi e a província de Louisiana, à margem esquerda dele, ele fez isso emitindo ações e títulos do governo com juros baixos, o que também serviu para ajudar as finanças francesas. 
    As ações da Companhia subiram ao céu, à medida que as pessoas eram atraídas com a ilusão de enriquecer, pessoas de todas as classes aglomeravam-se na rua em frente à casa de Law, com certeza, a bolha tornou-se insustentável e estourou.
    O livro nos apresenta outros fatos curiosos e hilários, como a influência da política e da religião no cabelo e na barba, venenos lentos, casas mal-assombradas e as cruzadas, temos também as profecias modernas como como o bug do milênio, o fim do mundo maia e a guerra dos canudos, Eduardo Levy apresenta também no final de cada capítulo fatos semelhantes que ocorreram aqui no Brasil, como o Plano Cruzado.
    A Crise de 2014, as cruzadas modernas e outros acontecimentos relevantes.Um livro diferente e muito interessante, de onde virá o próximo boom e surto de loucura coletiva? Quem sabe? O problema das manias é que é difícil identificá-las até que estejam bem encaminhadas. Mas, dada a avareza inata do homem, não há dúvida de que eles continuarão ocorrendo nos próximos séculos. A diagramação da faro Editorial como sempre está ótima, o livro possui várias ilustrações que retratam os acontecimentos da época, este livro deve ser leitura obrigatória.





    Trilha sonora da resenha:





    Sobre o autor


    O AUTOR: CHARLES MACKAY (1814-1889) foi um poeta, jornalista e escritor do Reino Unido. Sua mãe morreu logo após seu nascimento e seu pai era oficial da marinha. Nascido em Perth, na Escócia, e educado em Londres e em Bruxelas, passou a maior parte de sua juventude na França. Atuou como correspondente da revista Time durante a Guerra Civil Americana, e seus trabalhos são até hoje considerados clássicos para entender a sociedade.
























    1 comentários :

    1. Oi, Marco tudo bem? Eu ainda não li este livro, mas certamente é um livro que me agradará por completo. Ótima resenha. Abraço!

      https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

      ResponderExcluir