• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Parceiros
  • Resenhas
  • Contato
  • A Menina que Roubava Livros





    Difícil acreditar que um livro, que é narrado pela morte, possa ser tão emocionante e belo, capaz de tocar os corações de uma maneira profunda e nos mostrar vários sentidos da vida.
    “A Menina que Roubava Livros”, me chamou atenção primeiramente pela a capa e logo depois de ler a sinopse, fiquei ainda mais curioso. A história do livro se passa na época do Holocausto, onde o terror da guerra assombrava a muitos, a protagonista Liesel Meminger é uma garota que desde pequena, aprende a encarar a dura realidade da vida e perda dos entes queridos, primeiro por ter visto a morte do irmão no colo da mãe e depois por ter sido deixada com estranhos por ela.
     A morte do seu irmão lhe deu algo que salvaria a sua vida naqueles tempos de terror no meio da guerra, o homem que enterrara o seu irmão deixou cair o primeiro livro de vários que Liesel roubaria com um título não muito sugestivo O Manual do Coveiro. A busca pelo conhecimento fez com que ela começasse a sua coleção de livros roubados, que assim por diante lhe dariam o sentido da vida. Além de ser narrado pela a morte e ter como protagonista principal Liesel Meminger, o livro tem muitos personagens marcantes que deixarão marcas na memória de todos aqueles que tiverem a oportunidade de lê-lo.
    O livro é maravilhoso, emocionante, triste e inspirador, mostra que a força das palavras podem nos alegrar, entristecer, condenar, mas principalmente salvar e nos tirar de uma situação que acharíamos que não poderíamos sair.
    Este livro e a sua protagonista Liesel Meminger, nos mostra muitas lições e nos emociona diversas vezes, mas estas diversas lições e emoções, somente os que saborearem as páginas deste excelente e maravilhoso livro é que poderão senti-las.

     Segue abaixo sinopse do livro:


    Sinopse - A Menina que Roubava Livros - Markus Zusak


    Entre 1939 e 1943, Liesel Meminger encontrou a Morte três vezes. E saiu suficientemente viva das três ocasiões para que a própria, de tão impressionada, decidisse nos contar sua história, em "A Menina que Roubava Livros", livro há mais de um ano na lista dos mais vendidos do "The New York Times".
    Desde o início da vida de Liesel na Rua Himmel, numa área pobre de Molching, cidade desenxabida próxima a Munique, ela precisou achar formas de se convencer do sentido da sua existência. Horas depois de ver seu irmão morrer no colo da mãe, a menina foi largada para sempre aos cuidados de Hans e Rosa Hubermann, um pintor desempregado e uma dona de casa rabugenta. Ao entrar na nova casa, trazia escondido na mala um livro, "O Manual do Coveiro". Num momento de distração, o rapaz que enterrara seu irmão o deixara cair na neve. Foi o primeiro de vários livros que Liesel roubaria ao longo dos quatro anos seguintes.
    E foram estes livros que nortearam a vida de Liesel naquele tempo, quando a Alemanha era transformada diariamente pela guerra, dando trabalho dobrado à Morte. O gosto de roubá-los deu à menina uma alcunha e uma ocupação; a sede de conhecimento deu-lhe um propósito. E as palavras que Liesel encontrou em suas páginas e destacou delas seria mais tarde aplicada ao contexto a sua própria vida, sempre com a assistência de Hans, acordeonista amador e amável, e Max Vanderburg, o judeu do porão, o amigo quase invisível de quem ela prometera jamais falar.
    Há outros personagens fundamentais na história de Liesel, como Rudy Steiner, seu melhor amigo e o namorado que ela nunca teve, ou a mulher do prefeito, sua melhor amiga que ela demorou a perceber como tal. Mas só quem está ao seu lado sempre e testemunha a dor e a poesia da época em que Liesel Meminger teve sua vida salva diariamente pelas palavras, é a nossa narradora. Um dia todos irão conhecê-la. Mas ter a sua história contada por ela é para poucos. Tem que valer a pena.

    17 comentários :

    1. ''...mostra que a força das palavras podem nos alegrar, entristecer, condenar, mas principalmente salvar e nos tirar de uma situação que acharíamos que não poderíamos sair.'' Ameei!

      ResponderExcluir
    2. Olá Lizie!!
      Que bom que gostou e obrigado por visitar o meu blog.
      Abraços!!

      ResponderExcluir
    3. Olá!
      Eu já li este livro, foi este ano e eu amei,muito bom! Recomendo!bjs
      http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com

      ResponderExcluir
    4. Olá!!
      Excelente mesmo..recomendo de olhos fechados..obrigado..abçs!

      ResponderExcluir
    5. Oi Marcos tudo bem!
      Eu amei este livro, já li duas vezes, a primeira vez ficou confuso pois estava tão ansiosa pra ler que não entendi a mensagem mas já na segunda consegui senti-lo muito mais! Nao vejo a hora de ver ele em filme, só espero que a adaptação seja mais fiel do que alguns filme que vemos por ai.

      ResponderExcluir
    6. Olá, esse livro é fenomenal. Eu sempre fujo de histórias sobre a guerra, mas o autor realmente conseguiu ser belo em sua narrativa.

      Gostei da resenha, por isso indiquei-a em meu blog. sutilezadasletras.blogspot.com.br

      Abraços.

      ResponderExcluir
    7. Eu amei esse livro e espero ansiosa pelo filme. Espero q fique bom e acho q vai ficar, mesmo, independente da adaptação ser fiel ou não ao livro.

      ResponderExcluir
    8. Esse livro é maravilhoso e não me canso de dizer que foi um dos mais lindo que já li. Emocionante, inspirador, instigante! "...capaz de tocar os corações de uma maneira profunda e nos mostrar vários sentidos da vida!"
      Parabéns pela resenha!

      ResponderExcluir
    9. Olá, Marco!
      "A Menina que Roubava Livros" é simplesmente um dos meus livros preferidos. É perfeito demais.
      Beijos!

      ResponderExcluir
    10. Estou bastante curiosa com este livro. Ainda não li, mais só vejo elogios pra ele. E na sua resenha tive a impressão que vou adorar ler.

      ResponderExcluir
    11. Foi o livro mais emocionante da minha vida.
      Eu era até novinhas, mas me lembro como ele foi forte pra mim.
      Simplesmente perfeito.
      Beijos

      ResponderExcluir
    12. Tenho este livro, confesso que nunca fiquei interessada em lê-lo.
      Porém ao ver o trailer do filme que retrata a história deste livro, despertou a vontade de ler.
      Eu gostei da história.

      ResponderExcluir
    13. Nossa! Me parece ser uma história bem densa e forte. Essa passagem da morte do irmão da protagonista deve ser horrível (no sentido de tristeza). Mesmo não sendo meu gênero de livro preferido, eu leria esse, pois me parece ser ótimo.

      @_Dom_Dom

      ResponderExcluir
    14. Eu li esse livro já faz bastante tempo e lembro que na época eu me emocionei muito com a historia, Liesel é uma personagem tão forte e cativante, impossivel não se apaixonar por essa historia, que é triste sim, porque fala de um momento muito triste da historia, mas também nos traz belas lições! Ótima resenha! :)

      ResponderExcluir
    15. Eu ainda não li esse livro, apesar de só ouvir coisas boas sobre ele nunca tive a chance de ler ele ainda. Eu adoro livros que podem passar tantas emoções então eu acredito que vou gostar desse, tanto quanto tu.
      Deyse @ http://deysediztudo.wordpress.com/

      ResponderExcluir